Sobre nosso trabalho

O tempo todo, durante todas as sessões, nosso olhar é voltado para a criança que está ali conosco. Como ela brinca, conversa, diz de si, revela o que quer e o que não quer, se relaciona com os materiais disponíveis, interage? Que lugar atribui a ela mesma e que lugar atribui a nós? Como ela usa o espaço? Como está seu desenvolvimento em relação a outras crianças de sua idade? Quais são suas competências e principais dificuldades? O que poderia ser diferente?

Com essa observação atenta e uma ativa participação na situação de atendimento, vamos, juntos, construindo uma relação com a criança ou com o adolescente. E é a partir dessa relação que fazemos propostas, solicitações, intervenções, e que oferecemos recursos e oportunidades concretas para que ela/ele se desenvolva da melhor maneira que lhe for possível.

Tudo isso não é aleatório. Para que o nosso trabalho seja dessa forma, temos como base a Análise Institucional do Discurso para pensar o brincar como o discurso da criança; é pela brincadeira que ela se mostra, com os recursos que tem, e nos permite entendê-la. Nesse contexto, a Psicologia do Desenvolvimento nos permite pensar como a criança está organizando seu mundo em determinado momento da vida e o que é esperado para cada fase do seu desenvolvimento.   

O espaço físico é parte desse contexto lúdico no qual o atendimento acontece. Isto é, salas com materiais e brinquedos que abrangem diferentes interesses e possibilitam diversas oportunidades de interação.